Esta semana a FLASH! publica uma entrevista acerca do meu livro ...

POR DETRÁS DE UMA GRANDE MULHER SÓ PODE ESTAR UM GRANDE HOMEM !

 

Recentemente, numa conversa entre amigos, os elementos masculinos presentes mostravam-se de certo modo incomodados com as mudanças que se assistiam no universo feminino. “Queixavam-se” das mulheres, sobretudo das que eram demasiado independentes, donas do seu nariz e que lhes deixavam pouca margem de manobra. Ao ouvi-los, consegui entender porque é que muitas mulheres interessantes (do ponto de vista estético e intelectual) estão sozinhas. Digamos que é uma espécie de preço a pagar, porque não criam dependências que as possam tornar securizantes e controláveis. Perante elas, os homens com fraco auto-conceito sentem-se diminuídos e não sabem como gerir a situação. Se por um lado, até pode constituir uma valorização face aos amigos/família, por outro há sempre uma insegurança que espreita. De facto, estas mulheres não precisam que as transportem aos locais porque são adeptas do “quem tem boca vai a Roma”,  nem tampouco ficam à espera para marcar a revisão do carro, ou mudar uma lâmpada lá em casa ... Habituaram-se a resolver sozinhas tudo o que tem a ver com  os aspectos práticos do dia-a-dia. Porém, no contexto desta vida bem estruturada, ao contrário do que se possa pensar, o companheiro continua a desempenhar um importante papel, sobretudo no que respeita ao equilíbrio emocional. O problema é a maioria dos homens não consegue perceber isso e, perante uma mulher que, aparentemente, não precisa deles para nada, sentem-se completamente perdidos, inseguros, desazados ! No entanto, o que este tipo de mulher deseja obter de um companheiro não é muito diferente do que as outras (as ditas vulgares de Lineu) desejam. Aspira ter a seu lado, um homem com quem possa partilhar o dia-a-dia, mas que saiba também viver com orgulho as suas conquistas e sucessos. Claro que isso não é tarefa fácil! Culturalmente é muito mais aceitável que seja o homem a destacar-se, aliás, ouvimos sempre dizer que “por detrás de um grande homem está sempre uma grande mulher”, mas raramente ouvimos o contrário, embora essa seja uma verdade inquestionável. Só um homem verdadeiramente estruturado, com um auto-conceito razoável e uma autoestima elevada, consegue manter uma relação afectiva com uma mulher independente e bem sucedida a nível profissional. Assim, quando olhamos para os lados e vemos tantas e tantas mulheres interessantes e sozinhas, podemos perceber que isso não passa de um sintoma da insegurança que caracteriza muitos  homens do nosso tempo.

 

texto publicado na revista FLASH! em 2005 

 




[ ver mensagens anteriores ]


 


Adicione meu Blog
aos seus favoritos!




Visitante número:

 

Design Personalizado